No apito!

Árbitro "Fifa" não marca pênalti e Paraná Clube perde para o Ceará: 1x0
No Castelão, Paraná é mais uma vez prejudicado.
Foto: Fernando Ferreira/cearasc.com

Um pênalti claro não assinalado pelo árbitro Luiz Flávio de Oliveira (Fifa-SP), aos 48 minutos do 2º tempo, tirou da piazada tricolor a chance de um empate diante do Ceará. Com um gol de pênalti (em lance menos claro), o time cearense conseguiu o único gol da partida e derrotou o Paraná Clube, no Castelão, em Fortaleza. As decisões da arbitragem revoltaram o técnico Dado Cavalcanti, que desabafou ao fim da partida.

“O que vimos aqui frustra a todos e, em especial, esses meninos. Estamos num processo de reformulação do clube e, o fato de o Paraná já estar rebaixado, não pode interferir na decisão do árbitro durante o jogo”, disparou Dado. “Ele foi alertado pelos demais integrantes do sexteto e preferiu não marcar o toque de mão claro. Foi decisão exclusiva do Luiz Flávio”, lamentou. Com o resultado, o Ceará chegou aos 42 pontos e encaminhou sua permanência na Série A.

O Paraná teve um bom início e quase marcou aos 7 minutos. Na cobrança de falta de Juninho, a zaga cortou antes da finalização de Felipe Augusto, novidade no ataque paranista. Logo depois, Jhonny Lucas invadiu a área e cruzou para Juninho, que tenta o arremate e chuta pra fora. Só que a partir daí, só deu Ceará. Empurrado por quase 50 mil vozes, o time da casa partiu para a pressão. Foi então que Richard mostrou toda a sua capacidade, em duelos com os atacantes Calyson e Arthur. Foram pelo menos quatro defesas importantes.

Aos 32 minutos, porém, o Ceará chegou ao gol. Num cruzamento para a área, a bola tocou no braço de Jesiel. Pênalti, que Juninho cobrou no canto esquerdo para abrir o placar. Com a vantagem, o time de Lisca se tranquilizou em campo e passou a tocar a bola, esperando uma chance para definir a vitória. No intervalo, Dado cobrou mais atitude da equipe. Voltou com apenas uma alteração: Charles, na vaga de Renê Santos, que sentiu uma indisposição estomacal.

Logo no início, o Paraná reclamou de uma penalidade máxima sobre Jesiel. O jogo ficou equilibrado e, aos poucos, os treinadores foram mexendo nos times. Com as entradas de Alesson e Keslley, Dado Cavalcanti procurou aumentar a velocidade de sua equipe. O Ceará até teve uma boa chance em cabeceio de Felipe Azevedo, mas a bola foi pra fora. Aos 48minutos, o lance capital. No cruzamento de Felipe Augusto, Igor chegou batendo e a bola encontrou defesa no braço do zagueiro do Vozão. Apesar de todos os avisos, Luiz Flávio de Oliveira nada marcou e o jogo terminou mesmo no 1x0.

 

Ceará 1x0 Paraná Clube

Ceará: Éverson; Samuel Xavier, Tiago Alves, Luiz Otávio e Felipe Jonatan; Edinho, Ricardinho e Juninho; Leandro Carvalho (Felipe Azevedo), Arthur (Ricrado Bueno) e Calyson (Jown Cordona). Técnico: Lisca.

Paraná: Richard; Wesley Dias, Jesiel, Renê Santos (Charles) e Igor; Leandro Vilela, Alex Santana e Jhonny Lucas (Alesson); Andrey, Felipe Augusto e Juninho (Keslley). Técnico: Dado Cavalcanti.

Local: Castelão (Fortaleza-CE)

Árbitro: Luiz Flávio de Oliveira (Fifa-SP)

Assistentes: Émerson Augusto de Carvalho (Fifa-SP) e Miguel Caetano Ribeiro da Costa (SP)

Renda: R$ 541.183,00

Público pagante: 48.077

Público total: 48.824

Gol: Juninho (pênalti) aos 32’ do 1º tempo

Cartões amarelos: Calyson e Luiz Otávio (Ceará). Alesson (Paraná)

 

Departamento de Comunicação - PRC