Treinador sanguíneo

Text Resize

-A +A
Cristian de Souza promete time competitivo na Série B
Coletiva de Cristian de Souza, na Vila Capanema.
Rodrigo Sanches

O Paraná Clube estreia no Campeonato Brasileiro no próximo sábado (13) diante do ABC-RN, em Natal. O técnico Cristian de Souza chega com o objetivo inicial de dar sequência ao trabalho de seu antecessor, Wagner Lopes, mas buscando também aplicar os seus conceitos de futebol o quanto antes. “Particularmente, prefiro assim. Encontro um time organizado, com uma identidade. Ajustes, quando você vai para uma competição como a Série B, são normais e o próprio Wagner os faria”, comentou o novo comandante paranista.

Cristian se define como um “treinador sanguíneo”, que participa ativa e intensamente dos jogos. “Sou explosivo sim. Mas, você vai amadurecendo e aprendendo a se controlar mais”, comentou, durante a coletiva de apresentação. O treinador chegou a Curitiba no sábado e, mesmo tendo tido pouco contato com os atletas, já se sente ambientado. “A receptividade foi ótima. Já conhecia alguns atletas e vejo que temos grandes chances de fazer uma Série B equilibrada, brigando pelo objetivo maior, que é o acesso”.

Cristian de Souza é gaúcho de Quaraí. Seu último time foi o Rio Branco-AC. Porém, ele tem um histórico de muitos anos dentro do futebol. “Joguei até os 24 anos. Mas, quando percebi que minha carreira não seria longa como atleta, já passei a me preparar para atuar fora de campo. Fiz faculdade e atuei como auxiliar de muitos treinadores de qualidade”, disse o técnico tricolor, que tem como modelos de atuação dois profissionais de renome e também do Rio Grande do Sul: Tite e Mano Menezes.

“O Paraná Clube é, sim, o grande desafio de minha carreira até aqui. Mas, não sou novato. Hoje, o futebol brasileiro está mudando e abrindo muito mais espaço para técnicos como eu, de uma nova geração, de novos conceitos”, comentou. Essas ideias, Cristian já coloca em prática no dia a dia do Tricolor. Nas suas palavras, “agora é arregaçar mangas e trabalhar para essa estreia”. O treinador terá três dias para acertar o time que encara o ABC, campeão alagoano desta temporada. “Temos uma equipe que quer muito vencer, com sangue nos olhos. E isso é fundamental para termos um grupo competitivo. Essa é a grande virtude desse elenco”.

 

Departamento de Comunicação - PRC